Deepmind AI, um salto de 800 anos na ciência dos materiais

Gianluca Riccio

Tecnologia

Com a descoberta de materiais que levariam 800 anos para serem encontrados, Deepmind abre um futuro para supercondutores e baterias avançadas.

Quando falamos de progresso científico, muitas vezes pensamos em pequenos passos, melhorias incrementais. Mas o que o Google Deepmind acabou de realizar com sua ferramenta Redes gráficas para exploração de materiais (GNoME) é algo radicalmente diferente: um salto gigantesco que nos leva 800 anos no futuro da ciência dos materiais.

A revolução dos cristais inorgânicos

O GNoME da Deepmind descobriu uma enorme variedade de cristais inorgânicos: até 2,2 milhões. Entre estes, 380.000 foram identificados como particularmente estáveis, uma característica crucial para qualquer material destinado a transformar a nossa realidade tecnológica. Entre os cristais descobertos, alguns já existiam na natureza, mas muitos são completamente novos, com propriedades e potenciais aplicações que até agora eram apenas teóricas.

Este tesouro de novos materiais oferece uma mina de ouro para os pesquisadores. Com uma lista tão grande de materiais pré-filtrados, os esforços de investigação e desenvolvimento podem concentrar-se em estruturas promissoras sem perder tempo precioso em experiências com materiais instáveis ​​ou ineficazes. A descoberta é particularmente significativa para setores como energia, eletrônica e mecânica avançada. vou te linkar aqui o artigo que explora o tema em profundidade.

materiais de mente profunda
Bom trabalho, Deepmind.

A promessa de uma nova era na ciência dos materiais

Entre as descobertas mais promissoras estão 52.000 novos compostos em camadas semelhantes ao grafeno. Estes materiais poderão revolucionar a eletrónica através do desenvolvimento de supercondutores, com impactos significativos na velocidade e eficiência dos nossos dispositivos eletrónicos. Além disso, a descoberta de 528 potenciais condutores de íons de lítio abre caminho para melhorias substanciais no desempenho das baterias recarregáveis, uma vantagem crucial para a indústria de veículos elétricos.

Num gesto de abertura e colaboração científica, o Google disponibilizou todas as descobertas e previsões do GNoME para o Next Gen Materials Project. Este acto de partilha de informação não só acelera o processo de investigação, mas também estimula a inovação através da colaboração global.

O desafio da inovação robótica e autônoma

O significado desta descoberta é ainda mais ampliado pelo trabalho da Deepmind com o Berkeley Lab. O que é? É um laboratório robótico capaz de sintetizar autonomamente estes novos materiais. Da pesquisa ao desenvolvimento “sem passar pelo processo”. Já falamos sobre isso aqui, se você quiser saber mais sobre o que é. Esta inovação não só irá acelerar a produção de novos materiais, mas também poderá revolucionar a forma como conduzimos a investigação científica.

A ciência e a tecnologia apoiadas por ferramentas revolucionárias de IA como o GNoME estão a abrir as portas para um futuro que, até recentemente, era apenas imaginável.

Para relatar pesquisas, descobertas e invenções, entre em contato com a equipe editorial!

Futuro próximo e fatos cotidianos

Alberto Robiati e Gianluca Riccio guiam os leitores através de cenários do futuro: as oportunidades, riscos e possibilidades que temos para criar um amanhã possível.

Última